6 de maio de 2008

Amor & Crime

- Segurar no seu pinto? De jeito nenhum, prefiro morrer.

Essas foram as últimas palavras do amigo hetero, que não saiu do armário nem com este plano infalível do amigo gay, que agora chorava vendo seu querido afundar na areia movediça.

3 comentários:

Fontes disse...

Esse texto me lembrou muito a triste história do lenhador e seu machado que caiu na água. Coisas afundando e pessoas chorando são altamente depressivas.

Lia Lupilo disse...

ahh, aposto que no último momento ele deu a mão... se não não era amigo!

[obrigada pelo quadrinho do dinossauro, ste =]

Marília. disse...

perder oportunidades é uma arte, deveriam legalizar como profissão.